Você Não Verá Isso na TV – 2
You Won’t See This on TV – 2

Mais um episódio da calorosa recepção oferecida pelos brasileiros nos EUA à Mulher-Sapiens, a.k.a. Dilma “Devassa” Rousseff, a.k.a. Bonequinha de Luxo, a.k.a. Rainha da Mandioca. Parabéns à patriota sem rosto que se manifestou sozinha em defesa de seu país, quando milhões (vivendo no Brasil) simplesmente não se importam com isso.

One more episode of the warm reception extended by Brazilians in the USA to the Woman-Sapiens, a.k.a. Dilma “Devassa” Rousseff, a.k.a. Hepburn from Hell, a.k.a. Cassava Queen. The Lessa Blog congratulates the lonely, faceless patriot who expressed her desire to defend her country from those criminals while millions living in Brazil simply couldn’t care less about it.

 

Você Não Verá Isso na TV – 1
You Won’t See This on TV – 1

Essa foi a recepção que a Mulher-Sapiens, nome científico de Dilma “Devassa” Rousseff — a.k.a. Bonequinha de Luxo ou Rainha da Mandioca, teve de brasileiros nos Estados Unidos. Claro, as redes de TV aberta não mostraram, mas o Blog do Lessa está aí para preencher esse vazio para você, mantendo-o(a) bem informado(a).

This was the reception that the Woman-Sapiens, scientific name given to Dilma “Devassa”* Rousseff — a.k.a. Hepburn from Hell** or Cassava Queen***, had from Brazilians in the United States. Your TV’s regular programming didn’t show it, of course, but The Lessa Blog is here to fill in the blanks for you, so that you stay on top of what’s happening.

For those outside Brazil not knowing what the hell is going on around the country:
*She has been nicknamed “Devassa” because this is a brand of beer that matches former president Lula’s nickname (“Brahma”) discovered during the Car Wash investigations.
**Hepburn from Hell? This was because she stayed for a couple of nights at a St. Regis hotel suite in NYC for only… 11 thousand dollars a night.
***She has been nicknamed Cassava Queen (and Woman-Sapiens) for her most recent LSD-like statements in front of an audience. You can see two videos about this if you go down the blog’s timeline.

 

Os Canalhas Também Envelhecem
Miscreants also do get old

estad

A patética defesa deste canalha deveria observar o que está passando com outro canalha, José Maria Marin. Aos 83 anos, o ladrão se prepara para ser extraditado para os EUA para responder por seus crimes. É, José Dirceu… os canalhas como você também envelhecem.

The pathetic defense for this miscreant should take notice of what is happening with another scoundrel, Jose Maria Marin. At 83, this Brazilian thief awaits to be extradited to the USA in order to answer for his crimes. Yes, José Dirceu… miscreants like you do get old.

(The headline published on the Estadao site says that “Dirceu requests habeas corpus to avoid being arrested in the Car Wash operation”; Defense says that former chief of staff of the Lula administration is in the “twilight of his life”)

Apenas um Desejo…
Only a wish…

google

Segundo se informa, a Mulher-Sapiens teria pedido ao presidente da Google que aperfeiçoe um modelo de país sem presidente, com base na experiência pessoal dela.

According to rumors, the Woman-Sapiens also has asked Google’s president to develop a model of country without a president, based on her own experience.

Dilma, a (in)Conveniente
Dilma, the (in)convenient

O jornalista Josias de Souza, em sua coluna sobre política no UOL, lembra que “a opinião de Dilma Rousseff sobre o instituto da delação premiada varia conforme as suas conveniências políticas. Nesta segunda-feira (29), em Nova York, a presidente disse que não respeita delator. E comparou os delatores da Lava Jato aos dedos-duros que depunham sob tortura na ditadura. Há sete meses e meio, candidata à reeleição, Dilma vangloriou-se de ter sancionado a lei 12.850/2013, que regulamentou a colaboração de criminosos com a Justiça.
Num debate presidencial em que mediu forças com o então antagonista tucano Aécio Neves, em 14 de outubro de 2014, Dilma citou a delação com outro propósito —um propósito autopromocional. Postulante à reeleição, Dilma disse, diante das câmeras da TV Bandeirantes, ter mudado a realidade que potencializava a impunidade no Brasil.
“Quero lembrar que duas leis, aprovadas no meu governo, no ano passado, dão base para esse processo de investigação da Petrobras”, jactou-se Dilma. “A primeira: a lei 12.830, que garante a independência do delegado. […] A outra, que regulamentou justamente a delação premiada, a 12.850.”
Para ler o texto completo de Josias de Souza (em Português brasileiro), clique neste link.

Journalist Josias de Souza reminds us today in his column about politics that “Dilma Rousseff’s opinion about the plea bargain varies according to her political convenience. On Monday (June 29), in NYC, the president said she does not respect a snitch. She also compared the Car Wash snitches to those who did the same under torture during the dictatorship. Seven and a half months ago, candidate to reelection, Dilma boasted of having signed into law the legislation number 12.850/2013, regulating plea bargain.
During a presidential debate with then-candidate Aecio Neves, on October 14, 2014, Dilma cited plea bargain in another angle — with self-promoting purposes. Seeking reelection, she said in front of Bandeirantes TV cameras that she had changed the reality that augmented impunity in Brazil.
“I want to remind you that two pieces of legislation, signed into law during my administration, are the basis for the Petrobras investigation process”, boasted Dilma. “The first one is law 12.830, assuring the commissary independence. […] The other, regulating plea bargain, is the 12.850.”
If you want to read Josias de Souza’s complete text (in Brazilian Portuguese), click here.

Armação Ilimitada? Claro que Sim!
Unlimited staging? Yes, of course!

sandra3

Só quem não conhece os bastidores de uma entrevista coletiva nesse nível acha que a experiente repórter Sandra Coutinho tentou fazer uma “pergunta capciosa” à presidente Dilma “Devassa” Rousseff, a Mulher-Sapiens. A pergunta, a diligente intervenção do presidente Barack Obama e a passividade da Bonequinha de Luxo foram cuidadosamente planejados. Reveja o video e perceba que a Mulher-Sapiens sabia que Obama iria intervir. Na verdade, a viagem da ex-presidente em exercício já se revelava um desastre de relações públicas a partir de suas cínicas e constrangedoras declarações sobre os desdobramentos da operação Lava-Jato. Era preciso salvar, de alguma forma, a visita. A pergunta da coleguinha — que, certamente, ela recebeu de alguém de cima na hierarquia global — coordenada entre as secretarias de imprensa dos dois governos, e a resposta de Obama serviram para que os anestesiados telespectadores do Jornal Nacional continuem durante mais dez dias, pelo menos, na ilusão de que o Brasil vale alguma coisa no cenário internacional. Continue sonhando, pessoal…

Only those who don’t know what goes on behind the scenes in a presidential press conference will think that experienced reporter Sandra Coutinho tried to ask a “deceptive question” to president Dilma “Devassa” Rousseff, the Woman-Sapiens. The question, president Obama’s helpful intervention and Dilma’s passive behavior were carefully planned. Watch the video again and you will see that Dilma knew that Obama was going to intervene. The truth is that the acting former president’s trip was already a public relations disaster since her cynical, embarrassing statements related to the Car Wash operation recent developments. The visit had to be saved somehow. The journalist’s question — certainly received from someone way above her pay grade in the Globo network’s hierarchy — was coordinated among the press secretaries of the two administrations. The staged intervention by president Obama worked fine and will keep Globo network viewers under the illusion for ten more days, at least. They will remain thinking that Brazil matters something in the international scene. Dream on, people…

Oh, Dúvida cruel!
Oh, cruel doubt!

Um arguto e preocupado banqueiro fez um comentário interessante para a coluna Radar, de Lauro Jardim: “A Dilma tem dado garantias de que o Joaquim Levy fica e que suas políticas têm o apoio dela. O problema hoje, contudo, é outro: depois da delação do Ricardo Pessoa quem dá garantias de que a Dilma fica?”

A wise and worried banker came up with a very interesting observation for Lauro Jardim’s Radar column: “Dilma has guaranteed that (Finance minister) Joaquim Levy will stay and that his policies have her support. However, there is another problem now: after Ricardo Pessoa’s plea bargain, who can guarantee that Dilma will stay?”

É apenas um caso de polícia
It’s just a police case

lavajato

Não se deixe enganar. Não há nada de “político” na Operação Lava-Jato. O caso é de polícia, sem tirar nem por. A esta altura, os três meliantes da foto acima e o resto da quadrilha deveriam estar presos.

Don’t get fooled. There is nothing “political” about the “Car Wash” operation. It is a police case, fair and square. Right now, the three criminals pictured above and the rest of the gang should be in jail.
(Headline under the O Globo photo: “It is necessary to face Car Wash politically, says Lula”)

Que Patética!
How pathetic!

Quanto mais Dilma “Devassa” Rousseff, a Mulher-Sapiens, fala, mais ela se enrola. Hoje, em Washington, não foi diferente.
Pela necessidade de se disseminar amplamente argumentos sólidos que ajudem a demolir de uma vez por todas o discurso cretino, mentiroso, arrogante e criminoso dessa figurinha carimbada, o Blog do Lessa reproduz aqui parte do texto publicado no Blog do mestre Augusto Nunes (a íntegra está aqui) que contradiz frontalmente o que foi dito por ela na capital dos EUA.

1. “Eu não respeito delator. Até porque eu estive presa na ditadura e sei o que é. Tentaram me transformar em uma delatora”.

A primeira frase informa que Dilma — a exemplo de Marcola, chefão do PCC — só respeita criminosos que escondem as bandidagens que cometeram e a identidade dos mandantes ou comparsas. Gente como João Vaccari Neto e Renato Duque, por exemplo. A segunda frase sugere que Dilma não enxerga diferenças entre o governo que preside e o chefiado pelo general Emílio Médici nos anos 70. A terceira insinua  que os quadrilheiros presos em Curitiba têm sido submetidos a selvagens sessões de tortura.

2. “Eu não aceito e jamais aceitarei que insinuem sobre mim ou a minha campanha qualquer irregularidade. Primeiro porque não houve. Segundo, se insinuam, alguns têm interesses políticos.”

A primeira e a segunda frases informam que Dilma não lembra que promoveu a  larápia Erenice Guerra em melhor amiga, braço direito e depois sucessora na chefia da Casa Civil; que nem sequer ouviu falar do dossiê forjado para caluniar Fernando Henrique e Ruth Cardoso; que nunca participou das reuniões do Conselho Administrativo da Petrobras que presidiu; que não sabe quem é Lina Vieira; que não ajudou a transformar o ministério num viveiro de corruptos; que conhece só de vista o amigo de infância Fernando Pimentel; que o nariz que se mete em tudo só não consegue sentir cheiro de corrupção.

3. “Há um personagem que a gente não gosta, porque as professoras nos ensinam a não gostar dele. E ele se chama Joaquim Silvério dos Reis, o delator”.

As duas frases informam que, para a Doutora em Nada, o Petrolão é a Inconfidência Mineira do Brasil moderno, com Ricardo Pessoa no papel de Joaquim Silvério dos Reis. Lula, claro, é Tiradentes. Dilma é Marília de (José) Dirceu. Os verdugos a serviço da Coroa portuguesa são o juiz Sérgio Moro, os procuradores federais que atuam no caso, os policiais federais engajados na Operação Lava Jato, a elite golpista, a imprensa reacionária e FHC.

Sorry, everyone. Unfortunately, no translation will be available for this one. At least for now.

Quem tem, tem medo
It’s OK to be afraid

O modus-operandi já é conhecido. Dilma “Devassa” Rousseff, a Mulher-Sapiens, sempre apela para a fala grossa, para a intimidação e a arrogância quando está em desvantagem, achando que com isso vai ganhar a parada no grito. Em NYC, recorreu a bravatas vazias do tipo “Não respeito delator”, referindo-se a Ricardo Pessoa. Já o resto da quadrilha comandada por ela e seu mentor, o Brahma, sem as mesmas condições de falar grosso, apelam caladinhos ao Supremo Tribunal Federal.

Uma notícia publicada no jornal O Globo dá conta do enrosco: depois que Ricardo Pessoa, o empreiteiro da UTC, resolveu abrir a boca na semana passada, já foram apresentadas nada menos que 29 petições sigilosas. No STF, elas receberam a condição de processo oculto, quando não se pode saber nem o nome, muito menos acompanhar o andamento pela internet ou ainda a própria existência do processo. Essas petições ocultas só podem ser consultadas pelo Procurador Geral da República ou pelo ministro do STF a cargo do processo, Teori Zavaszki. Na primeira fase da Operação Lava-Jato, já havia 42 petições ocultas. As 29 novas petições dizem respeito apenas aos fatos narrados por Ricardo Pessoa.

The M.O. is already well known. Dilma “Devassa” Rousseff, the Woman-Sapiens, always resorts to tough gestures, intimidation and arrogance when she is at the short end of the stick. She thinks that by acting like this she will overcome her troubles. In NYC, she has resorted to shallow swaggering – Ï don’t respect snitches”, referring to contractor Ricardo Pessoa. The rest of the gang led by her and her mentor, former president Lula da Silva, a.k.a. “Brahma”, does not possess the same ability to speak tough. Therefore, they appeal and beg quietly to the Brazilian Supreme Court (STF).

A report published by O Globo newspaper gives the right dimension of the problem: after the UTC contractor Ricardo Pessoa decided to talk last week, nothing less than 29 secret petitions have been presented to the Brazilian Supreme Court. At the STF, these documents are classified as “occult processes”. No one can know the name of the person involved, much less follow its route within the court. Not even the existence of the document is officially acknowledged. These “occult petitions” can only be viewed by the Attorney General or by the Supreme Court minister in charge (justice Teori Zavaszki). During the first phase of the “Car Wash” operation, there were 42 occult petitions. The 29 new ones are related only to Mr. Ricardo Pessoa’s plea bargain.

Apesar do Medo, a Arrogância
Arrogance, even in fear

dilma_bicycle

Observe a inversão de valores: enquanto os índices de popularidade de Dilma Roussef, a Mulher-Sapiens, caem abaixo do volume morto, aumentam as preocupações com sua segurança. A segurança de que ela dispõe, no entanto, não é a mesma com a qual os brasileiros comuns podem contar. Que o diga o médico carioca morto a facadas na margem da lagoa Rodrigo de Freitas quando andava de bicicleta. O médico salvava vidas, curava pessoas. A Mulher-Sapiens, acima, dilapida o Estado, destrói o futuro de milhões de brasileiros, acaba literalmente com a vida de muita gente. Ela, no entanto, dispõe de guarda-costas para passear com sua bicicleta importada, privilégio que o médico Jaime Gold não desfrutava. E… claro, a suprema arrogância: a Mulher-Sapiens começou a andar de bicicleta ostensivamente protegida logo depois que o médico foi assassinado — mais um tapa na cara do cidadão de bem. (Foto: Charles Scholl)

Take a look at how values are inverted here: while the popularity of Dilma Roussef, the Woman-Sapiens, falls freely, the worries about her security go through the roof. The security she enjoys, however, is not the same Brazilians elsewhere can count on. The Rio de Janeiro physician who was killed a few weeks ago while riding his bike around the Rodrigo de Freitas lake is one of them. Doctor Jaime Gold saved lives, cured people. The Woman-Sapiens, above, wrecks the State, destroys the future of millions of Brazilians, literally ends the life of a lot of people. However, she has bodyguards to go riding a bicycle, a privilege others like Jaime Gold did not have.  And, of course, the supreme arrogance: with ostensible protection, the Woman-Sapiens began to ride her bicycle a couple of days after Gold’s murder — one more slap on the face of each and every citizen who works hard and pays taxes to have nothing in return but corruption. (Photo: Charles Scholl)